Não aos padrões de beleza impostos pela sociedade moderna!

Olá a todas! Como podem ler no título, hoje decidi escrever um artigo sobre os padrões de beleza impostos pela sociedade moderna. Eu bem sei que não costumo usar o blog para abordar estas temáticas mas a verdade é que é um assunto que me assusta e me incomoda pelas proporções que tem vindo a tomar.

Antes de começar a debitar, e porque sei que comentário negativos surgirão, esta é apenas a partilha da minha opinião que vale o que vale. Não estou a julgar ninguém pelas opções de vida que toma nem estou a tentar criticar estilos de vida saudáveis. O texto que se segue é apenas o desabafo de uma mulher de 26 anos que é confrontada diariamente com comentários ridículos por não se enquadrar nos padrões de beleza modernos que foram ditados por sabe-se lá quem!

Este assunto surge de conversas recorrentes que tenho com as minhas amigas, em que nos vemos confrontadas com as comparações que fazem entre nós e ditas belezas da sociedade. O mais assustador é que este comportamento surge de mulheres que sentem necessidade de “deitar abaixo” outras mulheres. Não sei se por falta de confiança nelas próprias, por frustração ou apenas para seguir a tendência, o que é ainda mais ridículo.

A verdade pode parecer cliché, mas é a mais pura das realidades: a Beleza é relativa e está nos olhos de quem a vê! O que é bonito para mim em termos de beleza física não o é para vocês e vice versa.

Ver Também: Adaptar as roupas à nossa morfologia

Não aos padrões de beleza impostos pela sociedade moderna!

Quando vejo o culto que se faz ao exercício físico fico até enjoada! O exercício é importante para mantermos um estilo de vida saudável, concordo plenamente, onde discordo é no facto de nos tornarmos escravos dele. Quem disse que temos todos de ter corpos esculturais para sermos bonitos? Eu por exemplo não gosto de ver pessoas muito musculosas, no entanto não critico quem o é porque certamente se o é, é porque gosta de se ver assim.

O que não admito é o facto de ser atacada pelo meu aspeto físico porque não sou fã desse estilo de vida. O que as pessoas não entendem é que cada um é livre de ser quem é, e que se calhar até gostam de serem como são e não querem mudar. Gostam de ser gordinhos ou magrinhos, ou qualquer outra forma que defina o seu corpo. Claro que extremos como a obesidade e a anorexia são casos gravíssimos mas que o são por serem doenças. E como doenças que são têm de ser tratadas.

Tenho vindo a ser atacadas no trabalho, e fora dele, pelo facto de gostar de comer e o fazer várias vezes ao dia. Tenho de ouvir comentários do género: “Não sei onde pões tanta comida”, “quando chegares à minha idade vais estar obesa”, “não te inscrevas num ginásio para desgastar isso tudo não”, “para uma pessoa que come o que tu comes até estás elegante”, e podia continuar a escrever o dia todo sobre exemplos tristes deste género.

Primeiro, não pedi a opinião a ninguém relativamente à quantidade de comida que ingiro. Não são profissionais na área da nutrição e o que é muita quantidade para vocês pode não ser suficiente para mim! Segundo, comer várias vezes ao dia é mais saudável do que não o fazer, e o que como é na sua maioria fruta, bolachas de arroz ou de água e sal e iogurtes. Claro que há dias que desço até à padaria e como um croissant, um queque ou uma sande mista, e não sinto nem vergonha nem peso na consciência.

Gosto genuinamente de comer e não sou mulher de fazer dietas. Faço cuidado com o que como sim, mas não dependo nem vivo em função das calorias que ingiro.

Tenho plena noção que neste momento tenho cerca de 4 a 5 quilos a mais do que me sinto confortável e que estão bem visíveis na minha zona abdominal. Também sei que não tenho grandes problemas com isso e que se quiser mudar sou capaz de o fazer. Sei que a causa deste aumento de peso e flacidez se deve ao facto de ter deixado de praticar exercício físico apenas e exclusivamente devido à preguiça que não tenho de justificar a ninguém!

O que mais me enerva é a forma como as mulheres se atacam umas às outras, como se existisse uma norma que nos obrigasse a ser perfeitas segundo a ditadura de um culto de beleza que foi instituído por vai se lá saber quem! Isto é tão ridículo que chega a ser irónico. A ditadura da beleza é tão tendencial quanto a moda. Hoje é bonito ser-se magra sem curvas, amanhã já é bonito ser mais gordinha, depois surge a moda dos corpos modelado e tonificados e andamos aqui a atacarmo-nos umas às outras em prol de um culto de perfeição que existe apenas nas imagens trabalhadas por filtros e aplicações.

Para mim ser-se bonito é ser feliz. É sentir-se bem com o seu corpo. Fazer por viver plenamente em sintonia com a nossa verdade, a nossa essência. Sobretudo é não se comparar aos outros. Nascemos para sermos a nossa própria versão e não a cópia dos outros!

A perfeição não existe, e não há nada mais imperfeito do que tentar viver uma vida irrealista!

Último Artigo – The Skin Lounge: as Máscaras Coreanas

Se gostaram do artigo não se esqueçam de deixarem o vosso comentário. Espreitem o Facebook e Instagram do Blog para ficarem a par das novidades!

Beijinho,

A Mulher Moderna

Artigos Relacionados

Deixa um comentário